PM alerta: não é “brincadeira”´, é crime!

06/04/2020 | Compartilhe:

Um homem, no período da noite, em uma localidade de Jaraguá do Sul, esconde-se no meio do mato, fica gritando, urrando, e joga pedras nas casas da vizinhança.

A história se repete dia após dia. A polícia é acionada, mas não consegue prender o cidadão por dois motivos principais: a área de mata é extensa e há a presença de vários curiosos que vão ao local atiçados por lenda urbana.

Isso não é “brincadeira”, é crime

O cidadão está cometendo o crime de perturbação do sossego alheio e também de dano, caso tenha danificado algo com as pedras jogadas.

Sem falar que a quarentena está em vigor, e a Polícia Militar diante das várias missões que está realizando, converge forças para emergências criminais e relacionadas à Operação Coronavírus.

Assim, a suposta “brincadeira” que essa pessoa pensa estar realizando, na verdade causa prejuízo imensurável: perturbação do sossego; deslocamento de força policial que lá permanece por longos períodos; crianças sendo assustadas; comunidade se revoltando, mobilizando-se para capturar o cidadão.

Pessoas ajudam o criminoso a fugir

Como se não bastasse a perturbação causada, algumas pessoas começaram a fomentar histórias, lendas urbanas, atiçando a curiosidade de outras, que vão ao local e perambulam na mata, procurando algo sobrenatural.

Além de perturbarem ainda mais o sossego da região, impede que a força policial se utilize de ferramentas que facilitariam a localização e captura do criminoso, pois os curiosos se espalham no local e podem ser, inclusive, confundidos durante a ação policial.

Dessa forma, sem querer, os curiosos acabam ajudando o infrator a fugir, motivando-lhe, inclusive,  a continuar com a perturbação, pois sua ação criminosa está ganhando holofote em alguns veículos de imprensa, que também ajudam a fomentar lendas urbanas.

Polícia Militar está presente

O 14º Batalhão está presente e atuando junto às pessoas de bem daquela comunidade, sensibilizando para que os ânimos se acalmem e articulando estratégias para que o homem seja preso o mais breve possível.

Assim, orientamos para que os curiosos não se dirijam até o local, respeitem as leis da quarentena e evitem aglomerações. Agindo assim, estará ajudando a Polícia Militar a localizar e prender o infrator.

Também, quem irresponsavelmente vai ao local, coloca a sua própria saúde em risco, coloca em risco a saúde das pessoas daquela região. Sem falar no risco que correm ao caminhar no meio do mato, podendo se machucar e precisar de cuidados médicos.

Isso destaca ainda mais a irresponsabilidade dos curiosos, pois todos os esforços feitos na quarentena em deixar leitos de hospitais livres para demandas oriundas do Covid-19, podem ser ocupadas por aventureiros que perambulam pelo mato em busca de histórias fantasiosas.

Portanto, quem está pensando em ir ao local, permaneça no conforto do seu lar, não dê holofote ao criminoso e contribua para que a tranquilidade daquela região seja reestabelecida.

 

Participe do grupo de notícias do 14º Batalhão Retornar para Home
Subtenente Luiz Wiltner

Subtenente Luiz Wiltner

Seção de Comunicação Social

Somos 14º Batalhão Governo de Santa Catarina 14º Batalhão | Somos online
----------- +++++++++++