Agente Temporário PMSC: orgulho e emoção

07/06/2019 | Compartilhe:

Na manhã desta sexta-feira, 7, ocorreu a formatura dos Agentes Temporários da Polícia Militar de Santa Catarina, e já no período da tarde muitos cumpriram escala de serviço nos seus locais de trabalho.

Saiba mais: 12ª Região realiza formatura dos agentes temporário

Enfatize-se que cada novo agente temporário possui uma história, cada qual com um enredo que denota o esforço e o valor da conquista. E dentre essas histórias, duas chamam a atenção, as quais compartilhamos para, quem sabe, servir de incentivo para os próximos futuros candidatos e mostrar a importância da família em cada passo dos filhos.

O retorno

Na Central Regional de Emergências de Jaraguá do Sul, quem já sorridentemente trabalhava na tarde desta sexta-feira, 7, era a agente temporária Ana Paula Otovicz, que já havia atuado na função por dois anos, e no dia 19 de fevereiro deste ano, com o encerramento do contrato, havia se despedido dos colegas de trabalho.

Saiba mais: http: Reconhecimento e despedida de agente temporário

Ana destacou que apenas saiu de suas funções no início do ano porque o seu contrato havia se encerrado, entretanto, como havia um novo edital em aberto, novamente fez o teste seletivo, dedicou-se nos estudos e conseguiu passar dentre o número de vagas em aberto.

“Estou muito feliz por ter retornado”, falou Ana, ressaltando que por conhecer todo o sistema e rotina, pôde também contribuir para a formação dos novos agentes temporários. “Foi muito gratificante”, concluiu.

Orgulho da família

Outra história que se destaca dentre os formandos, é da agente temporária Mariana Soares Bueno, que está em seu primeiro contrato, e fez a sua família se encher de orgulho.

Mariana, filha do policial militar 3º sargento Glácio José Soares Bueno – que ingressou na reserva remunerada em fevereiro de 2017 e retornou para o corpo temporário de inativos em julho do mesmo ano – desde cedo se acostumou em ver no pai a responsabilidade que a farda caqui traz. Ambientada também com o quartel, Mariana acompanhava o pai nos diversos eventos realizados no ambiente militar.

Quem sabe toda essa rotina tenha influenciado Mariana a se inscrever e fazer o teste seletivo, passar, fazer o curso de formação e se formar. Formatura, aliás, prestigiada pelo seu pai e mãe.

O orgulhoso pai conta que sentiu muita emoção ao ver Mariana se formando, e destaca que o coração bateu ainda mais forte quando foi chamado pelo comandante Reisdorfer para entregar o certificado de conclusão do curso e ficar ao lado de sua filha.

Glácio faz questão de dizer que o interesse em fazer o teste seletivo e ingressar como agente temporário partiu de sua própria filha. “Sempre apoiei, mas nunca interferi nas escolhas dela”, ressaltou o sargento, que agora terá sua filha compartilhando, em muitos momentos, do mesmo local de trabalho em que ele atua.

São histórias como essas, tão diferentes e que causam o mesmo sentimento de alegria e emoção, que motivam muitas pessoas em trabalhar em prol da segurança pública, como agentes temporários ou policiais militares, mas sempre com o principal objetivo de dar a sua contribuição para proteger as pessoas de bem da comunidade.

Quem sabe a próxima história seja a sua…

Somos 14º Batalhão

Protegemos o presente, com olhar no futuro.

Participe do grupo de notícias do 14º Batalhão Retornar para Home
1º Sargento Luiz Wiltner

1º Sargento Luiz Wiltner

Seção de Comunicação Social

Somos 14º Batalhão Governo de Santa Catarina 14º Batalhão | Somos online
----------- +++++++++++