Das manifestações à escolta de produtos para água potável

04/06/2018 | Compartilhe:

 

O movimento dos caminhoneiros que tomou as ruas e rodovias do País no final de maio, revelou a força que um segmento possui; contudo, também desnudou fraquezas pelo país, que mostrou não estar preparado para eventos adversos e as consequências pela restrição de vários produtos.

Em muitos locais faltou o gás de cozinha, combustíveis para os veículos, certos alimentos, sem falar em várias outras demandas, cuja ausência resultou em paralisação parcial ou total nos mais diversos tipos de empresas.

Quando o cenário se mostrou ainda mais tenebroso, forças contribuíram para que o mínimo fosse garantido para que alguns setores pudessem continuar prestando um serviço para a população; como, por exemplo, pode ser citado a distribuição de produtos para o tratamento da água que abastece toda a população da região.

Nesse momento de angústia e aflição, a Polícia Militar mais uma vez mostrou a força que possui em todo o Estado de Santa Catarina, contribuindo para que caminhões saíssem e chegassem em segurança em várias cidades. Para os policiais que atuam no 14º Batalhão, em Jaraguá do Sul e região, não foi diferente.

Do dia 26 ao dia 31 de maio, 49 policiais foram empregados em 28 escoltas, com um total de 51 caminhões sendo escoltados nos quase 4 mil quilômetros percorridos em toda a região.

Dentre os destinos e chegadas várias cidades compuseram o roteiro: Jaraguá do Sul, Guaramirim, Schroeder, Corupá, Massaranduba, Mafra, São Bento do Sul, Gaspar, Joinville e Florianópolis.

Dentre os materiais e produtos, destacam-se os produtos químicos para tratamento de água de 7 (sete) municípios, beneficiando diretamente mais de 800 mil pessoas; além de gás de cozinha, caminhões de transporte de coleta de lixo, de tratamento de esgoto, combustíveis para as viaturas policiais e para empresa de transporte coletivo.

Destaque-se que dentre as escoltas estava uma para o município de Florianópolis, cujos caminhões levavam alimentos para os presos da unidade prisional da capital.

Conjuntamente com o movimento dos caminhoneiros, ocorreram diversas manifestações, em sua grande maioria pacíficas. Na região a farda cáqui atuou para garantir o direito dos manifestantes, mas também sempre com um olhar voltado para a preservação da ordem; caminhando, assim, lado a lado com a população que vestia verde e amarelo.

Por tudo isso e muito mais, a Polícia Militar demonstra que é forte e está sempre pronta para proteger as pessoas e garantir que usufruam do direito de se manifestar livre e pacificamente; garantir que as pessoas tenham o direito de ter água potável em suas casas; garantir que mesmo aqueles que macularam a sociedade e hoje cumprem suas penas, possam se alimentar.

Para o comandante do 14º Batalhão, tenente-coronel Gildo Martins de Andrade Filho, os policiais ao atuarem na segurança, escoltas, acompanhamentos e outras atividades, colocaram em evidência a qualidade, o preparo e o discernimento, mostrando os frutos de uma filosofia de trabalho voltada para as pessoas da comunidade. “Parabéns a todos os policiais que atuaram direta e indiretamente nas atividades desenvolvidas no período do movimento”, enfatizou o comandante referenciando a todos os policiais militares de Santa Catarina, em especial aos do 14º Batalhão.

Confira as dados das ações policias por toda Santa Catarina:

Participe do grupo de notícias do 14º Batalhão Retornar para Home
1º Sargento Luiz Wiltner

1º Sargento Luiz Wiltner

Seção de Comunicação Social

Somos 14º Batalhão Governo de Santa Catarina 14º Batalhão | Somos online
----------- +++++++++++